Essencial Baby | WhatsApp

Cuidados importantes no pré-natal e no pós-parto

Por: Shirley Fernandes

Uma atenção humanizada e de qualidade no pré-natal e no pós-parto é essencial para a saúde da mulher e de seu recém-nascido. Para isso, é necessário um novo olhar sobre os processos de gestar, parir e maternar, compreendendo a mulher em sua subjetividade e constituição biopsicossocial, portanto, em sua totalidade.

A partir de uma visão mais humana — não só focada em procedimentos técnicos —, nós, profissionais de assistência ao parto, podemos construir novas bases de relacionamento e criar vínculos com as pacientes, acolhendo, orientando e esclarecendo dúvidas antes, durante e após o nascimento de seu filho.

É direito da gestante/parturiente/puérpera ser respeitada e ter suas necessidades e as de seu bebê atendidas. Da mesma forma, é dever dos profissionais do parto prestar assistência nesse momento tão importante da vida da mulher, compreendendo mãe e filho como sujeitos de direitos, que precisam ser atendidos com dignidade.

As enfermeiras obstetras ou obstetrizes são fundamentais nessa fase da vida da mulher. A parteira que a acompanha é responsável por avaliar seu bem-estar físico e mental, envolver a família nos cuidados — no pré-natal e no pós-parto — e, se for preciso, fazer encaminhamentos para profissionais de outras especialidades.

Quais são as principais orientações do pré-natal?

O pré-natal, quando é baseado em uma assistência humanizada e de qualidade, busca oferecer atenção integral às gestantes, considerando suas necessidades físicas, emocionais e sociais. Por isso, é importante escolher com cuidado os profissionais, os quais precisam ter uma visão ampla da gestação e abertura ao diálogo. Principalmente, é essencial contar com médicos e enfermeiras obstetras que respeitem a autonomia da gestante.

A mulher que opta por ter ao lado uma equipe focada em assistência humanizada — seja para parto domiciliar, seja para acompanhamento hospitalar — tem um pré-natal diferenciado. Além das consultas regulares com o médico obstetra, são realizados pelo menos 3 encontros com as enfermeiras obstetras.

A enfermeira obstetra atua na educação perinatal com a gestante e sua família, abordando temas importantes, como os riscos associados à hipertensão arterial e diabetes gestacional — essa é uma condição cada vez mais diagnosticada, mesmo em mulheres que não têm diabetes preexistente, nem fatores de risco, como obesidade.

O exame de glicemia de jejum e o teste oral de tolerância à glicose são determinantes para identificar a diabetes gestacional. Valores iguais ou acima de 92 mg/dL na glicemia de jejum confirmam a condição. No entanto, há muitos casos subdiagnosticados que não são devidamente monitorados, o que oferece um grande risco, pois a diabetes não controlada pode levar a complicações obstétricas, macrossomia e até óbito fetal.

Problemas como hipertensão, diabetes descompensada e macrossomia (bebê com tamanho acima do normal) podem, inclusive, dificultar o trabalho de parto — são situações em que o parto domiciliar não é indicado pelo risco de distocia e outras possíveis intercorrências. Portanto, todas essas questões devem ser bem abordadas durante o pré-natal.

Além de orientar os cuidados e alertar sobre os riscos de complicações gestacionais, o pré-natal humanizado preza pelos direitos da mulher e confere a ela autonomia para fazer suas escolhas, as quais podem ser reunidas em um documento: o plano de parto.

Para resumir, as orientações feitas durante o pré-natal incluem:

  • dieta saudável;
  • suplementação vitamínica;
  • abstenção de hábitos nocivos, como tabaco e álcool;
  • realização de exames;
  • atualização vacinal;
  • controle de doenças preexistentes;
  • decisão sobre o local e o tipo de parto;
  • elaboração de um plano de parto;
  • atenção aos sinais de trabalho de parto;
  • importância da golden hour — momento do primeiro contato entre mãe e bebê, logo após o parto;
  • direito da parturiente a um acompanhante, se o parto for em hospital;
  • direito de recusar intervenções médicas desnecessárias, com exceção dos casos de urgência;
  • entre várias outras pautas.

Quais cuidados são recomendados no pós-parto?

Também no pós-parto, parturiente e recém-nascido têm direito à assistência humanizada. O período de 40 dias após o nascimento é considerado chave para a saúde e o bem-estar da mãe. A mulher, por sua vez, passa por inúmeras mudanças físicas e emocionais, o que demanda atenção de familiares e profissionais da assistência ao parto e nascimento.

Quando é feito o parto domiciliar planejado e o bebê nasce saudável, não é necessário ir para o hospital. Os primeiros cuidados são realizados em casa pela equipe de parteiras, incluindo a administração da vitamina K no bebê, que irá prevenir hemorragia neonatal.

Todas as informações referentes ao parto e ao recém-nascido são registradas na caderneta do bebê, que deve ser entregue ao pediatra na primeira consulta, entre 7 e 10 dias após o nascimento.

A assistência após o parto inclui duas visitas, de 24 e 72 horas de vida do bebê, realizadas por uma das enfermeiras obstetras para avaliar o binômio mãe e bebê. Nesses encontros, a mulher e seus familiares são orientados sobre cuidados com o recém-nascido, amamentação e recuperação materna.

No pós-parto, a mulher pode passar por situações delicadas, como dor no períneo, ingurgitamento dos seios, fissuras mamilares, mastite, ingurgitamento mamário, dificuldades para amamentar, ansiedade, depressão pós-parto, entre outras. Portanto, uma atenção diferenciada é essencial nesse momento.

A enfermeira obstetra tem o conhecimento científico e a experiência necessária para orientar a puérpera sobre essas condições, além de utilizar técnicas que auxiliam na recuperação de lesões, como a laserterapia mamilar ou perineal.

Quanto aos cuidados com o recém-nascido, há uma lista de informações básicas que podem ser discutidas durante o pré-natal, para facilitar a adaptação à nova rotina no pós-parto, como:

  • primeiro banho do bebê;
  • limpeza do coto umbilical;
  • temperatura do ambiente e quantidade de roupa;
  • troca de fraldas;
  • corte das unhas;
  • uso de sling;
  • entre várias outras.

A consultoria de amamentação é um dos pontos fundamentais a serem trabalhados no pós-parto. Muitas mulheres têm dificuldades nesse momento. Alguns casos são fáceis de resolver, como ensinar o bebê a ter a pega correta do seio. Em outras situações, como mastite, a lactante precisa de mais informações e tratamento apropriado. Então contar com profissionais especializados faz toda a diferença.

Também é importante, na assistência ao pós-parto, dialogar sobre o retorno da mulher ao trabalho e as formas de armazenar o leite materno para que o bebê continue a ter esse alimento. Ainda que a retomada da vida profissional possa demorar alguns meses, o tema merece atenção para que a mulher tenha tempo de se organizar a esse respeito.

Por fim, dentre tantas orientações no pré-natal e no pós-parto, vale ressaltar a participação do parceiro e dos familiares nos cuidados com a mulher e o bebê. A atenção de profissionais competentes e a rede de apoio formada por pessoas próximas são pontos fundamentais para criar experiências positivas nessa fase tão importante da vida.

.......

 

PERGUNTAS FREQUENTES

 

O que é pré-natal e quais são os cuidados?

O pré-natal é uma série de medidas e procedimentos que tem o objetivo de acompanhar a gravidez para que ela seja saudável. O pré-natal é uma assistência que pode ser feita tanto por médicos como por enfermeiras. A mãe e o bebê passam por uma série de avaliações e exames que verificam a evolução da gravidez. Alguns exames são: ultrassonografias, hemograma completo, curva glicêmica, medição do colo uterino, diversas doenças, estreptococos B, entre outro. O ginecologista pesa e afere a pressão da mãe em cada consulta para também acompanhar a saúde dela durante a gestação.

 

Como é o pré-natal da enfermagem?

Quando a mulher opta pelo parto humanizado domiciliar, o pré-natal precisa incluir o contato com enfermeiras obstetras, que dão o suporte e a assistência necessários para as mulheres que desejam fazer o parto na própria residência. As consultas com enfermeiras obstetras durante o pré-natal incluem: anamnese, exame físico, diversos outros exames e orientações/esclarecimentos sobre detalhes do pré-natal, trabalho de parto, aleitamento materno, entre outros.

 

Quais os cuidados no pós-parto?

Os cuidados no pós-parto dependem da via de parto e de como foi o parto. Há mulheres que requerem mais cuidados do que outras, por isso o mais indicado é pedir orientação médica. No entanto, de forma geral, a mulher precisa respeitar o resguardo por cerca de 45 dias, evitando exercícios pesados, relações sexuais, medicamentos e dirigir.

Você também pode gostar:

Pré-natal

Cuidados com o recém-nascido

Furo humanizado de orelhinha

Golden hour (Hora dourada)

Pré-natal

Plano de parto